Estatística: Qual o valor do valor de “p<0,05"?

Olá!

Nós que publicamos ou aprendemos com a literatura científica, vivemos sempre as voltas com “p< 0,05”. Só consideramos significativos os resultados com este valor . Qualquer coisa acima disto é desconsiderada, sob o argumento de que não passa do acaso. Acho que a questão não é tão simples assim.

Transcrevo abaixo o diálogo entre dois pesquisadores que fazem parte de uma rede de cientistas da qual eu faço parte. Prestem atenção no que conversam. Acho que ciência é antes de tudo uma maneira de pensar, e não um simples manipular de números. Ok?

Mauricio Peixoto

University of Leicester
Oi. OK são bem conhecidos os valores de 0,1 = pequeno, 0,3 = médio e 0,5 = grande para determinar o tamanho do no cálculo do Coeficientes de Correlação Pearson . No entanto, faz algum tempo encontrei outros valores: pequena = 0,1, média = 0,24 e grande = 0,37…

Jochen Wilhelm
Justus-Liebig-Universität Gießen
Não fique colado a números concretos. Isso não faz sentido. A interpretação de um tamanho de efeito depende sempre do contexto do experimento, e sempre inclui certo grau de julgamento. Esses números que você cita devem ser tomado mais como uma indicação aproximada de uma interpretação de um tamanho de efeito. Não é relevante se você tomar 0,24 ou 0,3 como indicador de “médio”. A razão para as suas preocupações pode ser que, por exemplo, 0,28 poderia ser tomado como uma indicação seja para um efeito médio ou um efeito pequeno , o que parece ser contraditório. Essa contradição vem do fato de que você usou um valor-limite excessivamente rigoroso para a sua interpretação, o que não é adequadamente relacionado ao contexto do experimento que você tenta interpretar. Você quer uma resposta precisa, definida e clara onde isto não é possível.

Da mesma forma, isto não é muito diferente de usar “p <0,05”, como um valor de corte rigoroso para discriminar um resultado “significativo” de outro “não significativo”. Embora isto possa ser sensato em alguns casos muito especiais, esta é geralmente uma estratégia bastante insensata; pelo menos do ponto de vista científico. Claro que tomando a ciência como o negócio de publicar artigos que são revistos por pessoas que gostam de ver “p <0,05” isto certamente coloca algum sentido em tal estratégia, mas não é assim que a ciência deveria ser.

Anúncios

Medidas de Dispersão

Continuamos hoje a série de apresentações sobre Bioestatística que fazem parte da minha disciplina que introduz conteúdos mais simples deste tema.

Hoje defino dispersão e apresento como suas medidas a amplitude total e semi-quartil, desvio médio, variância e desvio padrão. Como nas outras apresentações desta série, enfatizo mais o modo de pensar estatístico que o cálculo propriamente dito.

Medidas de Posição

Continuamos hoje a série de apresentações sobre Bioestatística que fazem parte da minha disciplina que introduz conteúdos mais simples deste tema.

Aqui você encontrará subsídios para:

  • CONHECER OS ELEMENTOS TÍPICOS DE UMA DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIA.
  • APRENDER AS PRINCIPAIS MEDIDAS DE POSIÇÃO.
  • APRENDER SUAS INDICAÇÕES E CONTRA-INDICAÇÕES.

Introdução à Bioestatística

Olá!

Hoje começo a publicar uma série de apresentações sobre Bioestatística. A ideia deste conjunto de apresentações é a de ajudá-lo a PENSAR sobre estatística. Isto é, a ênfase será no RACIOCÍNIO e não na forma de calculo. Nesta apresentação em particular, forneço uma visão geral da bioestatística. Defino-a, apresento sua natureza e especificidade na área da saúde. Mostro os aspectos principais da estatística descritiva e inferencial.Espero que você goste.