Gardner e a Inteligência Lógico-Matemática


matematica-meninaEsta inteligência pode ser traçada de um confronto com o mundo dos objetos, uma vez que,confrontando objetos, ordenando-os e reordenando-os e avaliando sua quantidade que a criança pequena adquire seu conhecimento inicial e mais fundamental sobre o domínio lógico-matemático.

Com o desenvolvimento, o indivíduo torna-se mais capaz de apreciar as ações que se pode desempenhar sobre os objetos, as relações que prevalecem entre estas ações, as afirmativas que pode fazer sobre ações reais ou potenciais e os relacionamentos entre estas afirmativas. Assim, as raízes das regiões mais elevadas do pensamento lógico, matemático e científico podem ser encontradas nas ações simples de crianças pequenas sobre os objetos físicos de seu mundo.

O desenvolvimento do jovem lógico-matemático é precoce, devendo progredir rapidamente em seu campo. A capacidade de armazenar e manipular dentro da mente durante um período finito de tempo todas as variáveis necessárias para progredir em problemas matemáticos é algo que prova ser vulnerável à idade. Observa-se já um declínio a partir dos trinta ou quarenta anos.

Algumas Visões sobre a Inteligência Lógico-Matemática:

Poincaré, distingue duas habilidades nos matemáticos: a memória para etapas numa cadeia de raciocínio e o reconhecimento da natureza das ligações entre as proposições. A capacidade de seguir a cadeia de raciocínio não é tão difícil, mas a capacidade de inventar nova matemática significativa é rara.

Adler acredita que abstraindo e generalizando primeiro o conceito de número, então o de variável e finalmente o de função, é possível chegar-se a um nível de pensamento extremamente abstrato e geral. Há, ainda uma poderosa atração em direção a encontrar expressões mais simples e a retornar às noções fundamentais dos números.

Piaget discerniu as origens da inteligência lógico-matemática nas ações da criança sobre o mundo físico, onde as esferas dos números, matemática, lógica e ciência formam uma família de competências interconectadas.O indivíduo partindo de observações e objetos no mundo material, move-se em direção a sistemas cada vez mais abstratos, cujas interconexões tornam-se questões de lógica ao invés de observação empírica.

A Inteligência Lógico-Matemática na perspectiva de Piaget

O entendimento lógico-matemático deriva em primeiro lugar das nossas ações sobre o mundo. Dessa forma,o estudo do pensamento deve começar no berço,quanto os bebês exploram todo o tipo de objeto e em seguida, passam a formar expectativas sobre como estes se comportarão sob circunstâncias diversas. Assim, com o seu desenvolvimento a criança passa por estágios.

Período sensório motor: A criança adquire habilidades motoras em resposta aos estímulos ambientais; por volta dos 18 meses a criança reconhece que os objetos continuarão a existir mesmo quando foram retirados das suas estruturas espaço-temporais.

Período pré-operacional: a criança passa a reconhecer as similaridades entre de- terminados objetos, tornando-se capaz de produzir agrupamentos; tem consciência de maior e menor, mais e menos, mesmo que seja por simples percepção. Ela não entende que há um sistema de números regular, onde cada número representa mais que o anterior e que qualquer conjunto de objetos possui uma quantidade única. Mas com 4 a 5 anos, aprende que a série de números pode ser mapeada em conjuntos.

Período das operações Concretas: Por volta dos 7 a 10 anos, a criança apresenta maior capacidade de classificações complexas, de executar operações como adição e subtração que implicam na noção de conservação ou variância e equivalência. E apresenta um julgamento mais conceitual e menos dependente da percepção.

Período das operações formais: Nos primeiros anos da adolescência, a criança torna-se capaz de afirmar um conjunto de hipóteses e inferir as consequências de cada uma(método hipotético-dedutivo), opera sobre palavras, símbolos ou sequência de símbolos que cor- respondem a objetos e ações sobre objetos, alcançando a essência da matemática ,com os símbolos correspondendo a objetos, relações,funções, etc.

O Talento Lógico-Matemático Isolado:

Apesar de não ser uma característica central do talento matemático, a capacidade de calcular rapidamente pode ser observada em alguns indivíduos de forma autônoma.

Os idiots savants apresentam desde o início da infância uma capacidade de calcular muito rápida e precisa, mas não buscam usar a matemática para ajudá-los em outras áreas da vida cotidiana ou para tentar resolver enigmas científicos.

Gardner acredita que a prodigiosidade precoce em aritmética ou em cálculo fundamenta-se na relativa salvaguarda ou proliferação de determinadas áreas cerebrais. Por exemplo; a hiperlexia que representa um processo automático, impossível de interromper, ao invés de um que surge devido a excessiva aplicação num domínio casualmente escolhido de perícia potencial.

Apesar de alguns indivíduos possuírem pelo menos um componente central da aptidão lógico-matemático, as capacidades de outro modo normais mostram fraqueza seletiva na esfera dos números. Por exemplo, é possível que um determinado indivíduo possua uma dificuldade numérica seletiva, semelhante às dificuldades apresentadas por crianças com a linguagem escrita (disléxicos) e por um número menor, com a linguagem falada (disfásicos).

A Ciência e a Inteligência Lógico-Matemática:

O matemático é interessado em explorar sistemas abstratos por seu próprio valor. O cientista é motivado por um desejo de explicar a realidade física, sendo a matemática uma ferramenta indispensável para construir modelos e teorias que podem descrever e explicar o funcionamento do mundo, seja ele físico, químico, biológico, comportamental ou cognitivo.

O matemático quer reconhecer padrões, onde quer que possam existir, que levem a implicações de trilha de pensamento para onde possa levar. O cientista busca por um conjunto limitados de regras ou princípios que podem ajudar a explicar o comportamento dos objetos.

Piaget observou que a evolução da ciência e o desenvolvimento do pensamento lógico-matemático nas crianças, apresentam como procedimento mais antigo e básico, a experimentação simples com objetos e a observação de seus padrões de interação e comportamento.

Características do indivíduo Lógico-Matemático:

O matemático é rigoroso, só aceita fatos provados por etapas precisas, sem nenhum erro nas definições ou na cadeia de raciocínio.Aplica em contextos complicados teorias derivadas de contextos simples, esperando resultados válidos.Possui habilidade de manejar longas cadeias de raciocínio. Seu mundo é um mundo à parte, ele é ascético para obter sustentação dele.

Muitos matemáticos valorizam sua intuição,mas confiam em métodos explícitos de resolução de problemas quando sua inspiração e intuição falham. Estes métodos são igualmente úteis para indivíduos envolvidos em resolução de problemas em outras áreas da vida e ainda servem para conectar as atividades do matemático puro ás buscas dos outros

  Anterior     ⇔    Próximo  

Leia também :

A Inteligência Lógico-Matemática na prática

Você tem alguma dúvida ou pergunta?

Deixe sua questão no campo de comentários !

Referências

  1. Gardner, H. : Estruturas da mente – A Teoria das inteligências Múltiplas, Porto Alegre, Artes Médicas Sul, 1994.
Anúncios

19 thoughts on “Gardner e a Inteligência Lógico-Matemática

  1. Pingback: A Inteligência Lógico-Matemática na prática « Blog da Officina da Mente

  2. Pingback: Gardner e a Inteligência Corporal – O que é ? « Blog da Officina da Mente

  3. Pingback: Gardner e a Inteligência Musical na prática « Blog da Officina da Mente

  4. Prof, seu artigo está mto interessante! Trabalho com este conteúdo em Psicologia da Aprendizagem (no curso de Psicologia de minha Un) e encontrei mtas novas discussões q valem a pena.
    Obrigado,
    Lilian

  5. Olá Lilian;
    Obrigado pelo estímulo! Continue acessando o blog que toda semana coloco material novo.
    Abs,
    Prof. Mauricio Peixoto

  6. Pingback: Gardner e a Inteligência Lingüística – A poesia « Blog da Officina da Mente

  7. Pingback: Quais os dois elementos essenciais da inteligência intrapessoal? (ou da interpessoal?) « Blog da Officina da Mente

  8. Pingback: A Inteligência Lógico-Matemática na prática « Blog da Officina (3)

  9. Pingback: Inteligência Visual e Matemática (com uma lista de programas matemáticos) « Blog da Officina da Mente

  10. Pingback: O que é o Método de Polya? « Blog da Officina da Mente

  11. Todos em que o uso de números e raciocínio lógico é fácil. Por exemplo economistas e matemáticos ou ainda pesquisadores e detetives.

  12. estou com dúvidas. veio como trabalho para minha filha (3ª série) falar sobre inteligência lógico-matemática. quais profissionais se destacam e em que área é usada. por onde começar

  13. Uma sugestão para sua filha: Comece falando das inteligências no seu conjunto. Depois aprofunde a inteligência lógico-matemática. Neste aprofundamento fale dos matemáticos, contadores, engenheiros, advogados e detetives como exemplos de profissionais onde se espera haver inteligência lógico-matemática bem desenvolvida. No meu blog você encontra muita coisa, mas a referência básica para o assunto é:
    Gardner, H. : Estruturas da mente – A Teoria das inteligências Múltiplas, Porto Alegre, Artes Médicas Sul, 1994.

  14. Você pode começar lendo os posts deste blog que lidam com inteligência de uma maneira geral e principalmente os que tratam da inteligência lógico-matemática.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s