Inteligência e cérebro segundo Gardner


 

cerebro_1Na semana passada terminamos de definir os critérios que deveriam ser preenchidos por uma inteligência candidata. Um deles era o Isolamento potencial por dano cerebral. Isto é, se a ideia de inteligências múltiplas é verdadeira, então um dano cerebral específico poderia anular uma dada inteligência sem afetar significantemente as outras.

Afirmar a veracidade deste raciocínio é discutir o funcionamento cerebral. Isto porque para isto o cérebro deveria possuir uma organização tal que permitisse um funcionamento independente das suas diferentes funções. Assim, discriminar entre um funcionamento “global” (equipotencial) ou “compartimentalizado” (localizacionista) do cérebro é crucial para a aceitação da teorias das inteligências múltiplas.

Visões Anteriores

Na visão localizacionista prevaleceu uma crença correlativa de que diferentes partes do cérebro servem a diferentes funções cognitivas.  Já na visão equipotencial o cérebro foi considerado um órgão geral no qual as funções podem ser desempenhadas e habilidades representadas em qualquer seção do sistema nervoso.A inteligência tendeu a ser considerada, como uma capacidade unitária.

K. Lashley sugeriu que a quantidade de tecido cerebral intacto,ao invés de sua identidade particular determinaria se um organismo poderia desempenhar uma tarefa. Para isso foi realizado uma experiência com ratos. Através de estudos sobre este caso, pesquisadores viram que não fazia diferença retirar partes do cérebro, bastava deixar algumas partes que a tarefa seria desenvolvida.

No final do século o período para os holistas foi novamente excelente pois a inteligência foi relacionada à quantidade de massa cerebral ao invés de  sua localização particular.

Entretanto outros estudos revelaram que algumas áreas do cérebro provam ser de especial importância na solução de tarefas que se pensa medir a inteligência. E isto na visão de Gardner mostrou que o sistema nervoso estava longe de ser equipotencial.

Visões Atuais

Os Psicólogos

Com abordagem na cognição, a partir de perspectivas divergentes, psicólogos endossaram a noção de que a cognição humana consiste em alguns mecanismos cognitivos “de finalidades específicas” supostamente dependentes “de instalações duráveis” neurais.

De acordo com a evolução, os seres humanos vieram a possuir alguns mecanismos de processamento de informações de finalidade específica com frequência chamadas de “mecanismos computacionais”.  Alguns deles nós compartilhamos  com alguns animais (percepção facial), enquanto outros provam ser peculiares aos seres humanos (fraseado sintático).

Esses mecanismos funcionam em dois sentidos:

  • Cada um funciona de acordo com seus próprios princípios e não está “ligado” a nenhum outro módulo; ou
  • Podem operar sem estar direcionados a fazê-lo, simplesmente na presença de determinadas formas de informação a ser analisadas.

Esses mecanismos podem ser disparados por determinados eventos ou informações advindos do ambiente.É possível que alguns possam ser acessíveis ao uso consciente ou à exploração voluntária; e o potencial para nos tornarmos cientes do funcionamento do nosso próprio sistema de processamento de informações pode ser característica especial dos seres humanos.

Os Pesquisadores

Grande parte de pesquisadores na área cognitiva não acreditam que as evidências sobre a organização do cérebro sejam relevantes para os seus interesses ou sentem que processos neurais devem ser tornados consistentes com relatos cognitivos ao invés de vice-versa. Os cognitivos americanos creem na existência de capacidades de resolução de problemas extremamente gerais que encurtam o caminho para todos os conteúdos.

Consenso

Uma descrição razoável e aceita pela maioria dos pesquisadores é de que o cérebro pode ser dividido em regiões específicas, cada uma mostrando-se relativamente mais importante para outras.Todas importam mais com gradientes definidos de importância. Poucas tarefas dependem inteiramente de uma região do cérebro,só que ao examinar qualquer tarefa razoavelmente complexa, descobre-se estímulos de regiões cerebrais.

Sistema Nervoso – Organização

A arquitetura do sistema nervoso é bem organizada com especificidade em aparência e organização. As diferenças na sua organização parecem estar intimamente ligadas a diferenças nas funções às quais diferentes partes do cérebro servem.Ex: Áreas do córtex envolvidas em funções sensoriais primárias (a percepção de visões e sons distintos) amadurecem primeiro que as associações que efetuam conexões entre modalidades sensoriais.

Os Níveis

A estrutura organizacional do sistema nervoso pode ser considerada em dois níveis separados de detalhe: uma estrutura de granulação fina ou molecular e uma estrutura mais ampla ou molar. Isto foi reconhecido na divisão do Prêmio Nobel de 1981, tanto por estudiosos da estrutura molecular como do nível molar.

Em relação aos relatos sobre os níveis do cérebro fica esclarecido que seus hemisférios não apresentam funções distintas como dito anteriormente. Pois em algumas situações, como uma lesão de uma parte do cérebro responsável por uma função, que foi perdida, zonas do outro hemisfério que não é dominante, podem ser mobilizadas para adquirir funções substitutas, contornando em parte o problema.

Nível Molar

Nível que trata de regiões que podem ser prontamente inspecionadas a olho nu (áreas maiores do córtex cerebral). Ex: Em um ataque cardíaco pode ser visualizada a área do cérebro que foi destruída através de medições radiológicas e evidentemente ser examinada com grande precisão no post morten.

Nível Molecular

O córtex cerebral humano pode ser visto como organizado em colunas ou módulos, sendo estas verticais à superfície do córtex e apresentam aproximadamente 3 milímetros de comprimento e entre 0,5 a 1 milímetro de largura, sendo reconhecidas à medida que formam entidades anatômicas separadas que dão surgimento a diferentes funções quase-independentes.

Referências

  1. Gardner, H. : Estruturas da mente – A Teoria das inteligências Múltiplas, Porto Alegre, Artes Médicas Sul, 1994.                                                                                                                            

  Anterior     ⇔      Próximo

Você tem algo a dizer ? Quer ampliar o debate ? Comentários são bem vindos.

Você tem alguma dúvida ou pergunta? Deixe sua questão no campo de comentários! 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s