Como ler melhor c/ metacognição-concentração e memorização: Dicas para antes da leitura


Olá;
Hoje e nas próximas duas semanas apresentarei um conjunto de dicas para ajudar você a ler melhor. É a metacognição em ação. Aplicando-as você poderá obter mais das suas leituras já que elas te ajudam na concentração, memorização e mesmo na velocidade de leitura.
Dicas para antes da leitura:

  1. Construir metas para leitura: Sem saber para onde você quer ir é difícil escolher o caminho. Defina o que você quer obter do texto, no tempo que você tem.
  2. Visão geral do texto: É a leitura inspecional. É rápida e te permite identificar as idéias principais e a estrutura lógica do texto.
  3. Definir o que ler: Escolha que partes do textos serão lidas e quais não o serão. Assim você ganha tempo e não desperdiça concentração, lendo o que não interessa.
  4. Ativar o conhecimento prévio e pertinente: Para qualquer texto, há coisas que você sabe que estão ligadas a ele, direta ou indiretamente. Saber disto facilita sua compreensão, já que o que não é inteiramente novo é aprendido mais rápidamente.
  5. Preveja o que você vai ganhar: Com isto você fica mais motivado e sabe onde vai usar o que aprender.
  6. Criar hipótese inicial: A partir da visão geral, você faz suposições sobre o texto que serão a base do questionar. Orientado pelas questões a sua leitura posterior se facilita.

Mas isto já é para próxima semana. Até quarta !

Você tem algo a dizer ? Quer ampliar o debate ?
Comentários são bem vindos.

PS: O que apresento hoje é parcialmente baseado em:
PRESSELY, M.; AFFLERBACH, P. Verbal protocols of reading; the nature of constructively reading. New Jersey: Lawrence Erlbaum, 1995.

Anúncios

14 thoughts on “Como ler melhor c/ metacognição-concentração e memorização: Dicas para antes da leitura

  1. Gostaria de orientações de como trabalhar a metacognição com crianças deficiente mentais, como síndrome de down, por exemplo.

  2. olá Katiúsca;
    Se vc lê inglês experimente:
    Collaborative Learning: Comparison of Outcomes for Typically Developing Children and Children with Intellectual Disabilities
    Wishart, J. G.; Willis, D. S.; Cebula, K. R.; Pitcairn, T. K.
    American Journal on Mental Retardation, v112 n5 p361-374 Sep 2007
    Collaborative learning is widely used in mainstream education but rarely utilized with children who have intellectual disabilities, possibly on the assumption that the metacognitive skills on which it capitalizes are less likely to be available. Effects of collaborative learning experience on a core cognitive skill, sorting by category, were investigated in three child groups: typically developing (TD) children, children with nonspecific intellectual disabilities (NSID) and children with Down syndrome (DS). Following collaboration, sorting performance improved significantly in lower ability partners in TD-TD pairings, with this pattern reversed in NSID-NSID pairings. Neither partner improved significantly in DS-NSID pairings, suggesting that the sociability attributed to children with DS did not necessarily support either their or their partner’s learning in this social context.

  3. Pingback: Como entender uma frase usando a Metacognição (Passo 1) « Blog da Officina da Mente

  4. Pingback: Quem quer ser um milionário? « Blog da Officina da Mente

  5. Pingback: Como entender uma frase usando a Metacognição (Passo 2) « Blog da Officina da Mente

  6. Excelente esse site de orientação de leitura e interpretação… Um abraço!

    Hipóteses de interpretação (exercício meu…)
    Lenine escreveu esses versos encantadores e enigmáticos, quase que quânticos…, na canção ‘Só o que me interessa’…

    A lógica do vento
    O caos do pensamento
    A paz na solidão
    A órbita do tempo
    A pausa do retrato
    A voz da intuição
    A curva do universo
    A fórmula do acaso
    O alcance da promessa
    O salto do desejo
    O agora e o infinito
    Só o que me interessa
    *******************************************
    A lógica do vento = embora imponderável e abstrato é o movimento de transformação, erosivo…
    O caos do pensamento = na medida do “que me interessa”, o desnecessário é o que me incomoda e dá trabalho para ser extirpado de mim e aí gera o caos no processo de eliminação…
    A paz na solidão = não significa exatamente um abandono, mas o rompimento com o desnecessário
    A órbita do tempo = é a compreensão do já vivido e das expectativas
    A pausa no retrato = é o próprio tempo e o movimento de personas detidas na imagem
    A voz da intuição = é a fala da paz encontrada na moldura de decisões subjetivas já tomadas…
    A curva do universo = possibilidades de encontro no imaginado pela lógica do vento
    A fórmula do acaso = efeitos inesperados, ininteligíveis, fora das lógicas condicionadas
    O alcance da promessa = tem a medida da conquista realizada…
    O salto do desejo = é a saída de emergência que leva ao alcance do prazer…
    O agora e o infinito = consciência de Sí no leito de imensas possibilidades entrevistas…
    Só o que me interessa = escolha… decisão… consciência… atitude… rompimento e reconquista de sí…

    Ademário da Silva, tentando compreender a metacognição…
    http://www.ademario.wordpress.com = 12/abril/2009

    Corrija-me e me dê uma resposta se possível…

  7. Pingback: Como entender uma frase usando a Metacognição (Passo 3) « Blog da Officina da Mente

  8. Ademario;
    Uau! Acho que posso dar minhas orientações quando o texto é técnico. Sou professor de método e orientador de teses.
    A obra de arte é aberta, portanto sujeita a múltiplas interpretações possíveis. A menos que você seja um lingüista ou literato, recomendo que vc olhe para dentro e contacte as suas emoções quando lê os versos. Só depois tent entendê-los racionalmente.
    Abs,
    Prof. Mauricio Peixoto

  9. Não!… não sou literato ou lingüista, nem tenho formação de 3º grau, apenas amo a poesia e os seus melhores autores, entre eles Coralina e Drummond.
    Mas, se fizeres uma visitinha no meu blog: http://www.ademario.wordpress.com – verás o que sou espírita, adoro ler e escrever e arrisco meus versos no universo espírita.
    Leio também Machado, Cecília, Jorge Amado, Antonio Callado entre outros…
    E essa língua portu-afro-indígena-guesa me fascina…
    E compositores como o Chico de Hollanda, Gil, Chiquinha Gonzaga, Lenine, Zeca Baleiro, Wander Lee, Martinho da Vila, Paulinho da Viola, João Bosco e Milton entre outros tantos, também fazem parte dos meus gostos…

    Um abraço e muito obrigado pela resposta!!!

    Ademário

  10. Bem, se não é nem literato nem linguista, deixe o coração falar!
    se quiser aprender mais continue acessando este blog.
    Um grande abraço!
    prof. Mauricio

  11. Pingback: Blog da Officina » Como entender uma frase usando a Metacognição (Passo 3)

  12. Pingback: Blog da Officina » Tomar Notas em palestras ou aulas

  13. Pingback: Officina da Mente » Como entender uma frase usando a Metacognição (Passo 2)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s