Leitura e metacognição: uma experiência em sala de aula


Você sabe por que a metacognição ajuda na leitura e compreensão de textos ? Porque ler e comprrender não é uma tarefa simples e espontânea. Ao contrário, é complexa e pode ser aprendida. Leia o trecho abaixo:

“Nossa mente funciona como elemento dinâmico de nossas atividades físicas e mentais. Nos afazeres diários, utilizamos as informações armazenadas na memória para tomar todas as decisões necessárias à nossa sobrevivência. A memória é composta por um conjunto de operações efetuadas no cérebro, que através de mecanismos dinâmicos de retenção e recuperação da informação, possibilitam o tratamento da informação a partir da sua codificação, armazenamento e recuperação. Nesse sentido, a cognição humana apresenta-se como uma reprodução dos conhecimentos estocados na memória, acompanhados das interpretações que lhe são associadas e das formas de processamento de informações, como, por exemplo, o processamento textual. No que diz respeito à compreensão de um enunciado, a leitura de um texto é uma atividade cognitiva que requer esforço mental/cognitivo, envolvendo: percepção, memória, inferência e dedução. Além disto, é também um processo interativo, em que o leitor e o autor se relacionam mutuamente, sendo o texto o agente desta vinculação. O autor, quando produz o texto, estabelece uma coerência textual que é recuperada no momento da leitura. A reconstituição da coerência de um texto depende de processos cognitivos construídos pelo leitor/usuário para sua compreensão.”

Pois é, desenvolver-se metacognitivamente é um auxílio para todos. Inclusive profissionais de nível superior, como você pode ler abaixo.

Prof. Mauricio Peixoto

Leitura e metacognição: uma experiência em sala de aula

Dulce Amélia de Brito Neves

Focaliza o ensino de estratégias metacognitivas de leitura no curso de Especialização em Gestão de Unidades de Informação, durante a primeira parte da disciplina “Representação do conhecimento e da informação”. O foco central está voltado para a relação entre cognição, metacognição, construção de conceitos e a representação da informação. Evidencia, ainda, a importância de uma permanente reconstrução de conhecimentos, saberes e atitudes, assinalando com a perspectiva da construção de caminhos possíveis para a formação dos profissionais da informação, de modo a incorporar as mudanças que poderão compor um novo perfil desse profissional.

Para ler o artigo completo clique aqui

 

Você tem algo a dizer ? Quer ampliar o debate ?
Comentários são bem vindos.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s